A prefeitura de Niterói lançou, nesta semana, o edital de contratação da empresa responsável pela reforma e gestão do Mercado Municipal Feliciano Sodré, no Centro. O espaço, desativado há mais de 30 anos, será recuperado e transformado em um polo de cultura gastronômica.

“Essa obra será de grande importância para o desenvolvimento social e econômico, gerando empregos e movimentando renda na cidade. O niteroiense ganhará um novo lugar de lazer e cultura, e a cidade terá mais uma atração turística de qualidade”, explicou a secretária de Planejamento, Modernização da Gestão, Orçamento e Controle, Giovanna Victer.

Para a concretização da reforma e revitalização completa do espaço, o parceiro privado deverá realizar um investimento de R$ 70 milhões em três anos, sendo R$ 25 milhões já no primeiro ano. A estimativa é que a obra comece no início de 2018, e seja entregue em 2019. A empresa escolhida terá a concessão do espaço por 25 anos.

“O mercado municipal é um sonho dos niteroienses. Traz de volta um pedaço da história de Niterói e vem movimentar a economia da cidade. Será uma obra moderna, atual, inspirada em grandes mercados avançados em vários lugares no mundo, como o de São Francisco, na Califórnia. Vai gerar uma revitalização do entorno, um movimento econômico importantíssimo para a cidade; será mais uma área de lazer para os moradores; e também vai atrair turistas”, analisou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Indústria Naval e Petróleo e Gás, Luiz Paulino Moreira Leite.

O projeto prevê que o mercado receba delicatessens e restaurantes, quiosques de flores, de artesanatos, alimentos e produtos regionais variados. O número de lojas ainda será definido. A reforma inclui também a construção de um centro cultural e de um edifício-garagem.

A previsão é que o município tenha uma contrapartida fixa mensal de acordo com o sucesso do empreendimento. Além da outorga, uma espécie de aluguel, o município receberá 6% do faturamento mensal. O maior valor de outorga é o critério de escolha da concessão.