Os prefeitos do Consórcio Intermunicipal do Leste Fluminense (Conleste) reuniram-se, na terça-feira (31), em Silva Jardim, para debater os avanços nas negociações entre o grupo de municípios e a Petrobras, em relação à retomada do Comperj.

Na avaliação dos prefeitos, o encontro com o presidente da estatal, Pedro Valente, foi positivo. Rodrigo Neves informou aos participantes que a proposta de formação de um grupo de trabalho composto por representantes das prefeituras e a Petrobras foi aprovado.

Comandada pelo prefeito de Niterói e presidente do consórcio, Rodrigo Neves, a reunião de terça-feira contou, pela primeira vez, com a participação do procurador-geral de Justiça do estado, Eduardo Gussem, que apresentou aos prefeitos a plataforma MP em Mapas, uma ferramenta de apoio à gestão e que está sendo disponibilizada para prefeituras e a população.

“A presença do Ministério Público aqui é muito importante, pois a cooperação entre as instituições, respeitadas suas autonomias, é fundamental para a democracia”, disse Neves.

Os prefeitos também conversaram sobre a estruturação do Plano Estratégico do Conleste e os temas que pretendem abordar, entre eles a distribuição de água, saneamento, linha 3 do metrô e geração de empregos, entre outros assuntos.

“Temos de nos preparar para abordarmos os temas que consideramos estratégicos em nossas cidades e em nossa região para médio e longo prazo, pelos próximos 20, 30 anos”, lembrou Rodrigo Neves.

Outra proposta apresentada foi a realização de uma caravana dos chefes do Executivo, com deputados federais do estado do Rio, a Brasília para pleitear a liberação de emendas feitas por esses parlamentares e já aprovadas para as cidades junto ao governo federal.

O prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci, sugeriu o adiamento do prazo de quitação dos precatórios para 2024. Segundo ele, a maioria das cidades não tem condições de cumprir essa determinação. A questão deverá ser levada à reunião da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), marcada para o fim de novembro, em Recife, Pernambuco. O objetivo é que a FNP abrace a causa e coordene a formação de um bloco nacional em torno do assunto. Vice-presidente da Frente, Rodrigo Neves se comprometeu a apresentar a proposta no encontro.