Na semana de comemorações do Dia Internacional de Luta contra a Aids, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Niterói promove, nesta quinta-feira (30), das 8h às 18h30, o XV Seminário da Rede de Educação e Saúde para Prevenção das IST/HIV/AIDS de Niterói (Redusaids). O evento acontecerá no auditório da Universidade Salgado de Oliveira (Universo), localizado à Rua Marechal Deodoro, 217, Bloco A, Centro.

Reunindo usuários do SUS, profissionais de saúde da FMS e da Fundação Municipal de Educação (FME), da Secretária de Estado de Saúde (SES), bem como estudantes da UFF e representantes de Organizações Não Governamentais, o seminário deste ano, cujo tema principal é a “Prevenção Combinada e as múltiplas escolhas de prevenção do HIV: Escolher para Viver Melhor”, tem um significado histórico na prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), Aids e das Hepatites Virais, pois desde 2001, o evento vem promovendo o fortalecimento e a sustentabilidade das políticas públicas e do controle destes agravos no município.

De acordo com assessora técnica municipal de IST/Aids e Hepatites Virais da COVIG, Márcia Santana, o evento pretende potencializar a discussão acerca das Infecções Sexualmente Transmissíveis, e prevê abordagens teóricas e políticas em consonância com as políticas atuais do Ministério da Saúde, considerando a Prevenção Combinada e a introdução da Profilaxia Pré-Exposição Sexual (PrEP) no Município de Niterói.

A nova estratégia de prevenção, a PrEP (Profilaxia Pré-Exposição ao HIV), consiste no uso preventivo dos medicamentos tenofovir e entricitabina, combinados num único comprimido. A nova medicação antirretroviral só pode ser usada por pessoa que não seja portadora do vírus HIV. É um comprimido de uso diário.

No Brasil, a prevalência da infecção pelo HIV encontra-se em 0,4% na população geral. Porém, alguns segmentos populacionais mostram uma prevalência de HIV mais elevada, como homens que fazem sexo com homens, gays, pessoas transexuais, transgêneros, travestis e trabalhadoras do sexo. Casais que sejam sorodiferentes – que é quando uma pessoa está infectada pelo HIV e a outra não – também estão incluídos no projeto da Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP), em razão de aumentar as opções de prevenção dessas pessoas.

A implementação da Profilaxia Pré-Exposição no SUS vai ocorrer de forma gradual, focando as populações com risco substancial à infecção pelo HIV.

A oficina de capacitação, que preparou 70 profissionais de saúde que já atuam nos serviços especializados da rede pública, aconteceu em Brasília nos dias 8 e 9 de novembro, e contou com representantes do Serviço Especializado em HIV/Aids do Hospital Municipal Carlos Tortelly, onde a PrEP será implementada no município de Niterói.