Andréa Ladislau / Psicanalista – SPM 1530328

Esta semana a novela exibida na Rede Globo de televisão, “O Outro Lado do Paraíso”, mostrou cenas em que uma advogada e coaching tenta ajudar uma personagem que apresenta dificuldades na área afetivo-sexual decorrente, aparentemente e sugestivamente, de abusos sofridos na infância. A profissional em questão foi indicada para auxiliá-la a conseguir superar e lidar com o trauma com sessões de Hipnose Ericksoniana.

Infelizmente houve uma demonstração clara de merchandising para uma escola de Coaching, e uma total irresponsabilidade ao fato de não estar sendo solicitada a ajuda de um (a) psicanalista ou um (a) psicólogo (a), para atender, mas sim de uma advogada e coaching. Percebe-se de forma irresponsável e abusiva a deturpação do papel do próprio Coaching, bem como, lamentavelmente, também do papel do psicólogo e do psicanalista. Foi feita uma grande salada.

E qual a diferença destes profissionais? O Coaching é fundamentado em treinamentos. Limita-se a treinar o comportamento. Podemos até classificar esse profissional como um motivador, professor motivacional.

Enquanto a psicanálise é a busca do autoconhecimento. Onde o indivíduo irá buscar, a partir de seus medos, neuroses um encontro com o seu “eu”. O objetivo da psicanálise é descobrir complexos, desejos, traumas e qualquer conteúdo mental que perturba o equilíbrio emocional e que se encontra reprimido no inconsciente.

A psicanálise visa a reeducação emocional da pessoa, através da conscientização dos motivos que a levam a ter determinados comportamentos ou sintomas. A psicanálise consiste na interpretação do significado inconsciente das palavras, ações e produções imaginárias (sonhos, fantasias, etc.) de um indivíduo.

E quais os resultados da psicanálise? Autoconhecimento e autocontrole do paciente, melhor qualidade de vida, redução dos sintomas antes vivenciados e mudanças em si mesmo.

Cabe salientar também que processos de sofrimento emocional intensificado, mesclado com abuso sexual, como foi exposto, não podem ser tratados por um Coaching. O caso demonstra entraves emocionais na vida afetiva da suposta vítima que deixa claro que não consegue superar e\ou elaborar bem a situação em si. Evidência mais do que comprovada de que, o profissional não poderá tratar o caso como uma mera análise de comportamento.

As questões são bem mais profundas e exigem maior cautela no cuidado para que a elaboração seja feita de forma a eliminar todos os traumas e neuroses causados.

Com a saúde mental não se brinca. Portanto, busque métodos e práticas psicológicas que investiguem ou estudem os processos psíquicos mais profundos, visando a resolução ou tratamento dos problemas, através do amadurecimento do ego e da desconstrução do inconsciente. E estes benefícios podem ser adquiridos através da Psicanálise, a partir do controle emocional, uma vez que ela é uma ciência de métodos próprios que pela análise, promovem o autoconhecimento e a cura pelas palavras.