Meta da Fundação de Saúde de Niterói é imunizar 170 mil pessoas

Começa nesta terça-feira (24), a Campanha de Vacinação Contra a Gripe. A imunização, que segue até 1º de junho, estará disponível em 54 salas de vacina nas Policlínicas Regionais, Unidades Básicas de Saúde e módulos do Programa Médico de Família, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17horas.  No dia 12 de maio, será o Dia D de mobilização, com mais de 500 profissionais aplicando as doses nessas unidades. A meta do município é vacinar aproximadamente 170 mil pessoas.

O público-alvo da campanha é formado por pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses e menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e os funcionários do sistema prisional. Portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem levar a prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. A meta da Fundação Municipal de Saúde (FMS) é imunizar pelo menos 90% de cada grupo.

 “A imunização reduz o número de internações, complicações e mortes em decorrência de infecções causadas pelos vírus da gripe. É fundamental que as pessoas que fazem parte desses grupos recebam a dose”, orientou Maria Célia Vasconcellos, secretária municipal de Saúde, explicando que a vacina é fabricada com partículas inativadas dos vírus H1N1, H3N2 e B e, portanto, é incapaz de produzir a doença.

A aposentada Regina Ferreira dos Santos, de 72 anos, moradora do Engenho do Mato, na Região Oceânica, afirma que recebe a imunização há mais de 10 anos.

“Tomo a vacina todos os anos desde que entrei para o grupo de indicação. Faço questão de ser umas das primeiras a receber a dose. Nunca tive nenhum problema, para mim é sempre muito eficaz”, declarou Regina.

Documentos – Para receber a dose da vacina, as pessoas que fazem parte dos grupos-alvo da campanha devem comparecer às unidades de saúde levando carteira de identidade e outros comprovantes de acordo com os grupos a que pertencem:

– Trabalhadores das áreas de Saúde e Educação devem apresentar identidade profissional ou crachá.

– Crianças de 6 meses até 4 anos, 11 meses e 29 dias, cartão de vacinação.

– Pessoas com 60 anos ou mais, carteira de identidade.

– Pessoas com doenças crônicas (a partir dos 5 anos), solicitação médica, com indicação da doença.

– Puérperas, certidão de nascimento do bebê, ou cartão do pré-natal, ou cartão de vacinação do bebê; e as gestantes só precisam declarar que estão grávidas.

A Influenza, comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura uma semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo a febre o mais importante.

Os vírus influenza são transmitidos facilmente por aerossóis produzidos por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. O influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias.

Algumas pessoas, como idosos, crianças, gestantes e pessoas com alguma comorbidade possuem um risco maior de desenvolver complicações devido à influenza. A vacinação é a intervenção mais importante na redução do impacto da influenza. Deacordo com a Organização Mundial da Saúde, estima-se que a influenza acomete 5% a 10% dos adultos e 20% a 30% das crianças, causando de 3 milhões a 5 milhões de casos graves e 250 mil a 500 mil mortes todos os anos.

Confira os locais de vacinação:

Salas de vacina – Policlínicas Dr. Carlos Antônio da Silva – Rua Jansen de Mello s/nº, São Lourenço; Dr. Sérgio Arouca, Praça Vital Brazil s/nº – Santa Rosa; Dr. Guilherme Taylor March – Rua Desembargador Lima Castro, 238, Fonseca; Dr. Francisco da Cruz Nunes – Rua Ver. Armando Ferreira, 30, Largo da Batalha; Assistente Social Maria Aparecida da Costa – Est. Engenho do Mato s/nº, Itaipu; Dr. Renato Silva – Av. João Brasil, s/nº- Engenhoca, Rua Jornalista Sardo Filho, 196, Ilha da Conceição; Av. Carlos Ermelindo Marins s/nº, Jurujuba; Av. Colônia s/nº, Caramujo; Professor Barros Terra – Rua Alcebíades Pinto, s/nº, Cantagalo; e Dr. João da Silva Vizella, Rua Luiz Palmier, 726 – Barreto.