Contando os dias para reestrear no futebol profissional, o Canto do Rio Foot-ball Club retorna às suas origens e conquista mais uma importante vitória: Gérson de Oliveira Nunes, o Canhotinha de Ouro, fará parte do Conselho Gestor do Futebol do Cantusca.

O conselho gestor faz parte de um novo modelo de gestão, nos moldes do adotado pelo Real Madrid, da Espanha. O clube está dando um importante passo rumo à modernidade sem abandonar as raízes.

“O conselho gestor do Cantusca ganha muito com a presença do Gérson pelo seu conhecimento no mundo do futebol, mas principalmente pela sua história com o Canto do Rio. Não poderia ser outra personalidade, senão o nosso ‘Canhotinha de Ouro’. Estamos muito satisfeitos”, salientou o presidente Rodney Melo.

Durante o encontro, Gérson relembrou sua história com o clube e como tudo começou em sua carreira esportiva.

“A minha vida começou no Canto do Rio, já entrei aqui na barriga da minha mãe. Depois eu fui infantil, fraldinha, dente de leite, jogando futebol de salão. Cheguei a fazer atletismo e depois fui pro futebol de campo. Fomos campeões do Niteroiense, Pontariense, Vianense, Ipiranga. Aqui sempre foi minha casa”, contou o craque, que completou: “na época o Canto do Rio era convidado a jogar o Campeonato da Guanabara. Fizemos uma preliminar contra o Flamengo, perdemos de 5 a 2 e eu fiz os dois gols do Cantusca. Depois do jogo eu fui chamado pelo Bria, técnico do Flamengo, para jogar lá”, lembrou.

Após esse convite, a carreira do Canhotinha deslanchou, jogando ainda no Fluminense, Botafogo, São Paulo e na Seleção Brasileira, onde foi campeão da Copa do Mundo de 1970.